O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO VI 574

A forma humana é a forma normal; o Espírito pode variar-lhe a aparência, mas é sempre o tipo humano.

Não podem se manifestar sob a forma de chama?

Podem produzir chamas, clarões, como muitos outros efeitos, para atestarem sua presença; mas não são os próprios Espíritos. A chama, freqüentemente, é apenas uma miragem, ou uma emanação do perispírito; em todos os casos, não é senão uma parte deles; o perispírito não aparece por inteiro senão nas visões.

29. Que pensar da crença que atribui os fogos fátuos à presença de almas ou Espíritos?

Superstição resultante da ignorância. A causa física dos fogos fátuos é bem conhecida.

A chama azul que apareceu, diz-se, sobre a cabeça do menino Servius Tullius, é uma fábula ou uma realidade?

Era real; foi produzida pelo Espírito familiar que queria advertir a mãe. Essa mãe, médium vidente, havia percebido uma irradiação do Espírito protetor de seu filho. Todos os médiuns videntes não vêem no mesmo grau, como os  médiuns  escreventes não escrevem todos a mesma coisa. Enquanto essa mãe não via senão uma chama, um outro  médium  teria   podido   ver   o próprio corpo do Espírito.

30. Os Espíritos poderiam se apresentar sob a forma de animais?

Pode ocorrer; mas, são sempre Espíritos muito inferiores que tomam essas aparências. Isso não seria, em todo caso, senão uma aparência momentânea; porque seria absurdo crer que um animal verdadeiro qualquer possa ser a encarnação de um Espírito. Os animais são apenas animais e nenhuma outra coisa.

Nota. Só a superstição pode  fazer crer que certos animais são animados por Espíritos; é necessária uma imaginação bem  complacente ou muito impressionada para ver alguma coisa de sobrenatural nas circunstâncias um pouco bizarras   nas quais, algumas ve-