O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO VII 593

todo mundo; entrou ele mesmo, todo atento ao que iria dizer o oráculo, e percebeu atrás de si um dos principais Egípcios, de nome Basilide, que sabia estar retido doente a vários dias de Alexandria. Informou-se com os sacerdotes se Basilide esteve nesse dia no templo, se informou com os transeuntes se o viram na cidade, enfim enviou homens a cavalo, e se assegurou de que, nesse mesmo momento, estava a oitenta milhas de distância. Então, não duvidou mais que a visão não foi sobrenatural, e o nome de Basilide tomou-lhe o lugar de um oráculo. (Tácito, Histórias, livro IV, cap. 81 e 82. Tradução de Burnouf)

121. O indivíduo que se mostra simultaneamente em dois lugares diferentes  tem,  pois,  dois  corpos;  mas, desses dois corpos, só um é real, o outro não é senão uma aparência;    pode-se  dizer   que   o primeiro   tem  a   vida orgânica  e  que  o  segundo  tem  a  vida da alma; ao despertar,  os dois corpos se reúnem, e a vida da alma entra no   corpo material. Não parece possível, pelo menos disso não temos exemplo, e a razão parece demonstrá-lo, que no estado de separação, os dois corpos possam desfrutar simultaneamente, e no mesmo grau, da vida ativa e inteligente.  Resulta, de  outra  parte,  do que  acabamos   de dizer,  que   o   corpo  real  não poderia morrer enquanto o corpo aparente estivesse visível: a aproximação da morte chama sempre o Espírito para o corpo, ainda que por um instante. Resulta, igualmente, que o corpo aparente não poderia ser morto, porque não tem organismo e não é formado de carne e osso; desapareceria no momento que se quisesse infligir-lhe a morte. 1

122. Passemos ao segundo fenômeno, o da transfiguração. Ela  consiste na  mudança  de aspecto de um corpo vivo. Eis  um fato do qual podemos garantir a perfeita au-


1. Ver a Revista Espírita, janeiro 1859, O duende de Bayonne, fevereiro de 1859; Os agêneres; meu amigo Hermann; maio de 1859; O laço entre o Espírito e o corpo; novembro de 1859; A alma errante; janeiro de 1860, O Espírito de um lado e o corpo de outro; março de 1860, Estudos sobre o Espírito de pessoas vivas: o doutor V e a senhorita L; abril de 1860, O Fabricante de S. Petersburgo: aparições tangíveis; novembro de 1860, História de Marie d’Agréda; julho de 1861, Uma aparição providencial.