O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO VIII 601

não a encontrou pronta mas a fez, ele mesmo, para o momento em que dela teve necessidade, por um ato de sua vontade, e a pôde desfazer: deve ocorrer o mesmo com todos os outros objetos, tais como vestuários, jóias, etc.

Mas, é evidente.

7. A tabaqueira ficou visível para aquela senhora, ao ponto de iludi-la. O Espírito teria podido torná-la tangível para ela?

Teria podido.

8. Se a ocasião se apresentasse, aquela senhora teria podido tomá-la entre as mãos, crendo ter uma tabaqueira de verdade?

Sim.

9. Se  a  tivesse aberto, provavelmente teria encontrado   o tabaco; se tivesse aspirado esse tabaco, teria espirrado?

Sim.

10. O Espírito pode, pois, dar não somente a forma, mas propriedades especiais?

Se o quiser; foi em virtude desse princípio que respondi  afirmativamente às questões precedentes. Tereis provas da poderosa ação que o Espírito exerce sobre a matéria, e que estais longe de supor, como já vos disse.

11. Suponhamos, então, que ele tenha querido fazer uma substância venenosa e que, se uma pessoa a tivesse tomado, teria sido envenenada?

Teria podido, mas não o teria feito; isto não lhe seria permitido.

12. Teria o poder de fazer uma substância salutar e própria para curar em caso de doença, e o caso já se lhe apresentou?

Sim, muito freqüentemente.

13. Poderia, então, fazer também uma substância alimentar; suponhamos que fizesse uma fruta, uma comida qualquer, alguém poderia tê-las comido e ficado saciado?