O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO VIII 605

ser, uma substância qualquer; não é nem uma propriedade da mais etérea matéria; a vontade é o atributo essencial do Espírito, quer dizer, do ser pensante. Com ajuda dessa alavanca, ele age sobre a matéria elementar e, por uma ação consecutiva, reage seus compostos, cujas propriedades íntimas podem assim ser transformadas.

A vontade é o atributo do Espírito encarnado, assim como  do   Espírito errante; daí o poder do magnetizador, poder que se sabe estar em razão da força de vontade. O Espírito encarnado, podendo agir sobre a matéria elementar, pode, pois, igualmente variar-lhe as propriedades em certos limites, e é assim que se explica a faculdade de curar pelo contato e imposição das mãos, faculdade que algumas pessoas possuem num grau mais ou menos elevado. (Ver no capítulo  dos médiuns, o artigo relativo aos médiuns curadores.  Ver, também, a  Revista  Espírita,  julho  1859, páginas  184  e 189: O zuavo de Magenta; Um oficial do exército da Itália.).