O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XII 626

PNEUMATOFONIA

150. Os Espíritos, podendo produzir ruídos e pancadas, podem muito bem fazer ouvir gritos de toda natureza, e sons vocais imitando a voz humana, ao nosso lado ou no vago do ar; é a esse fenômeno que designamos sob o nome de pneumatofonia. Segundo o que conhecemos da natureza dos Espíritos, pode-se pensar que alguns, dentre eles, quando são de ordem inferior, se iludem e crêem falar como em sua vida. (Ver, Revista Espírita, fevereiro 1858: História do fantasma da senhorita Clairon).

Seria preciso, todavia, guardar-se de tomar por vozes ocultas todos os sons que não têm causa conhecida, ou simples zunidos do ouvido, e sobretudo de crer que haja a menor verdade na crença vulgar de que o ouvido que zune nos adverte de que se fala de nós em algum lugar. Esses zunidos, cuja causa é puramente fisiológica, não têm aliás nenhum sentido, ao passo que os sons pneumatofônicos exprimem pensamentos, e só por isso pode-se reconhecer que são devidos a uma causa inteligente e não acidental. Pode-se tomar como princípio de que os efeitos notoriamente inteligentes são os únicos que podem atestar a intervenção dos Espíritos; quanto aos outros, há pelo menos cem chances contra uma de que sejam devidos a causas fortuitas.

151. Ocorre  com   bastante freqüência que, meio adormecido, ouve-se distintamente pronunciar palavras, nomes, algumas vezes mesmo frases inteiras, e isso com bastante força para nos acordar sobressaltados. Embora possa acontecer que em certos casos seja realmente uma manifestação, esse fenômeno não tem nada de positivo para que não se possa atribuí-lo a uma causa análoga àquela que desenvolvemos na teoria das alucinações, capítulo VI, números 111 e seguintes. O que se ouve dessa maneira, não tem, de resto, nenhuma continuidade; não ocorre o mesmo quando se está desperto, porque então, se é um Espírito que se faz ouvir, quase sempre se pode fazer com ele uma troca de pensamentos e iniciar uma conversação regular.

Os sons  espíritas ou  pneumatofônicos  têm duas ma-