O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XVI 661

senvolver nos outros, pela sua influência, a faculdade de escrever.

"Aí é antes um efeito magnético do que um fato de mediunidade propriamente dita, porque nada prova a intervenção   de um   Espírito. Em todo caso, pertence à ordem dos efeitos físicos." (Ver o capítulo da Formação de médiuns.)

190. MÉDIUNS ESPECIAIS PARA OS EFEITOS INTELECTUAIS – APTIDÕES DIVERSAS

Médiuns audientes: os que ouvem os Espíritos. Bastante comuns. (nº 165.)

"Há muitos que crêem ouvir o que não está senão em sua imaginação."

Médiuns falantes: aqueles que falam sob a influência dos Espíritos. Bastante comuns. (nº 166.)

Médiuns  videntes:   os que vêem os Espíritos em estado  de   vigília.   A   visão  acidental e fortuita de um Espírito    numa    circunstância particular, é bastante freqüente; mas a visão habitual ou facultativa dos Espíritos, sem distinção, é excepcional. (nº 167.)

"É uma aptidão à qual se opõe o estado atual dos órgãos; por isso, é útil não crer sempre, sob palavra, naqueles que dizem ver os Espíritos."

Médiuns inspirados: aqueles cujos pensamentos são sugeridos pelos Espíritos, o mais freqüentemente com o seu desconhecimento, seja nos atos ordinários da vida, seja nos grandes trabalhos da inteligência. (nº 184.)

Médiuns de pressentimentos: pessoas que, em certas circunstâncias, têm uma vaga intuição das coisas futuras vulgares. (nº 184.)

Médiuns proféticos: variedade dos médiuns inspirados ou de pressentimentos; recebem, com a permissão de Deus, e com  mais precisão do que os médiuns de pressentimentos, a revelação das  coisas  futuras  de um interesse geral,