O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XX 716

através das distâncias incomensuráveis que separam o mundo   visível do mundo invisível, o mundo imaterial do mundo encarnado, o que queremos ensinar por intermédio do aparelho medianímico. Mas  também, do mesmo modo que as influências atmosféricas atuam e perturbam, freqüentemente, as transmissões  do   telégrafo   elétrico,  a influência  moral  do médium atua e perturba, algumas vezes, a transmissão dos nossos despachos de além-túmulo, porque somos obrigados a fazê-los passar por um meio que lhes é contrário.  Entretanto,  o   mais  freqüentemente, essa influência é anulada por nossa energia e nossa vontade, e nenhum ato perturbador se manifesta. Com efeito, os ditados de uma alta importância filosófica, as comunicações de uma perfeita moralidade, são transmitidas, algumas vezes, por médiuns pouco próprios a esses ensinamentos superiores;  ao  passo   que,   por outro lado, as comunicações pouco edificantes chegam também, algumas vezes, por   médiuns   envergonhados de lhes terem servido de intérpretes.

"Em tese geral, pode-se afirmar que os Espíritos semelhantes chamam os Espíritos semelhantes, e que raramente os Espíritos das plêiades elevadas se comunicam por aparelhos maus condutores, quando têm à mão bons aparelhos medianímicos, bons médiuns numa palavra".

"Os médiuns levianos e pouco sérios chamam, pois, os Espíritos da mesma natureza; por isso suas comunicações são marcadas por banalidades, frivolidades, idéias sem seqüência e, freqüentemente, muito heterodoxas, espiritualmente falando. Certamente, eles podem dizer, e dizem algumas vezes, boas coisas; mas é nesse caso, sobretudo, que é preciso fazer um exame sério e escrupuloso, porque, no meio dessas boas coisas, certos Espíritos hipócritas insinuam com habilidade, e com uma perfídia calculada, fatos controvertidos, asserções mentirosas, a fim de enganar a boa fé dos seus ouvintes. Deve-se, pois, podar sem piedade, toda palavra, toda frase equivocada, e não conservar, do ditado, o que a lógica não aceita, ou o que a doutrina já ensinou. As comunicações dessa natureza não são temidas senão pelos espíritas isolados e pelos grupos recentes ou pouco esclarecidos;  porque  nas  reuniões onde os adeptos são mais avan-