O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XX 718

teoria.  Com efeito, sobre essa teoria poderíeis edificar todo um sistema que desabaria ao primeiro sopro da verdade, como um monumento construído sobre areia movediça, ao passo que, se rejeitais hoje certas verdades, porque não vos são   demonstradas lógica e claramente, logo um fato brutal ou uma demonstração irrefutável virá delas vos afirmar a autenticidade.

"Lembrai-vos, contudo, ó espíritas! que não há nada de impossível para Deus e para os bons Espíritos senão a injustiça e a iniqüidade.

"O Espiritismo está bastante difundido agora entre os homens, e tem moralizado suficientemente os adeptos sinceros de sua santa doutrina, para que os Espíritos não sejam mais obrigados a usar más ferramentas, médiuns imperfeitos. Se, pois, agora, um médium, qualquer que seja, por sua conduta ou seus hábitos, por seu orgulho ou por sua falta de amor e de caridade, dá um legítimo motivo de suspeita, repeli, repeli suas comunicações, porque há uma serpente escondida na erva. Eis minha conclusão sobre a influência moral dos médiuns. (ERASTO)."