O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XXV 793

mente e tem menos preconceitos, absolutamente como os sonâmbulos; é um estado quase semelhante.

46. Se o Espírito de um sonâmbulo em estado de sono magnético fosse evocado, seria mais lúcido do que o de qualquer outra pessoa?

Responderia, sem dúvida, mais facilmente, porque está mais liberto; tudo depende do grau de independência do Espírito e do corpo.

O Espírito de um sonâmbulo poderia responder a uma pessoa que o evocasse à distância, ao mesmo tempo que respondesse verbalmente a uma outra pessoa?

A faculdade de se comunicar simultaneamente em dois pontos diferentes não pertence senão aos Espíritos completamente libertos da matéria.

Poder-se-iam modificar as idéias de uma pessoa no estado de vigília, agindo sobre o seu Espírito durante o sono?

Sim, algumas vezes; o Espírito não mais preso à matéria por laços tão íntimos, por isso está mais acessível às impressões morais, e essas impressões podem influir sobre a sua maneira de ver no estado ordinário. Infelizmente, ocorre que, com freqüência, ao despertar, a natureza corporal o domina e lhe faz esquecer as boas resoluções que pôde tomar.

48. O Espírito de uma pessoa viva está livre para dizer, ou não dizer, o que quer?

Tem as suas faculdades de Espírito e, por conseguinte, seu livre arbítrio, e como tem maior perspicácia, é mesmo mais circunspecto do que no estado de vigília.

49. Poder-se-ia constranger uma pessoa, evocando-a, a dizer o que gostaria calar?

Disse que o Espírito tem seu livre arbítrio; mas, poder-se dar que, como Espírito, liga menos importância a certas coisas do que no estado ordinário; sua consciência pode falar mais livremente. Aliás, se ela não quer fa-