O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XXVI 812

Pode, e isso seria muito útil, sobretudo se se fizesse assistir por Espíritos esclarecidos que supririam a falta de conhecimentos de certos doentes. Mas, para isso, seria preciso que fizesse esse estudo de um modo sério, assíduo, com um objetivo humanitário, e não como meio de adquirir, sem esforço, saber e fortuna.

294. Perguntas sobre as invenções e as descobertas

28. Os espíritos podem guiar nas pesquisas científicas e nas descobertas?

A ciência é a obra do gênio; não deve adquiri-la senão pelo trabalho, porque é só pelo trabalho que o homem avança no seu caminho. Que mérito teria se não houvesse senão que interrogar os Espíritos para tudo saber? Todo imbecil poderia tornar-se sábio a esse preço. Ocorre o mesmo com as invenções e as descobertas da indústria. Depois, há uma outra consideração, a de que cada coisa deve vir a seu tempo e quando as idéias estejam maduras para recebê-las; se o homem tivesse esse poder, transtornaria a ordem das coisas, fazendo crescer os frutos antes da época.

Deus disse ao homem: Tirarás teu sustento da terra com o suor do teu rosto; admirável figura que pinta a condição na qual está neste mundo; ele deve progredir em tudo pelo esforço do trabalho; se as coisas lhe fossem dadas todas prontas, de que lhe serviria sua inteligência? Seria como o escolar do qual um outro faria o dever.

29. O sábio e o inventor, jamais são assistidos pelos Espíritos em suas pesquisas?

Oh! isso é bem diferente. Quando há chegado o tempo de uma descoberta, os Espíritos encarregados de dirigir-lhe a marcha procuram o homem capaz de conduzi-la a bom termo, e lhe inspiram as idéias necessárias, de maneira a deixar-lhe todo o mérito, porque, essas idéias, é preciso que as elabore e as execute. Ocorre o mesmo com todos os grandes trabalhos da inteligência humana. Os Espíritos deixam cada homem em sua esfera; daquele que não está apropriado senão para cavar a terra não farão o depositário