O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XXVII 820

É preciso não tomar por contradição o que, freqüentemente, não é senão uma parte da elaboração da verdade. Todos os Espíritos têm sua tarefa marcada por Deus; cumprem-na nas condições que julgam convenientes para o bem daqueles que recebem suas comunicações.

4. As contradições, mesmo aparentes, podem lançar dúvidas no Espírito de certas pessoas; que controle se pode ter para conhecer a verdade?

Para discernir o erro da verdade, é preciso aprofundar essas respostas e meditá-las longa e seriamente; é todo um estudo a fazer. É necessário tempo para isso, como para estudar todas as coisas.

Estudai, comparai, aprofundai; dizemo-vos sem cessar que o conhecimento da verdade tem seu preço. E como quereis chegar à verdade, quando interpretais tudo por vossas idéias estreitas, que tomais por grandes idéias? Mas não está longe o dia em que o ensinamento dos Espíritos será por toda parte uniforme, tanto nos detalhes quanto nas coisas principais. Sua missão é a de destruir o erro, mas isso não pode vir senão sucessivamente.

5. Há pessoas que não têm nem o tempo nem a aptidão necessários para um estudo sério e aprofundado, e que aceitam o que se lhes ensina sem exame. Não há, para elas, o inconveniente de abonar os erros?

Que pratiquem o bem e não façam o mal, é o essencial; para isso não há duas doutrinas. O bem é sempre o bem, quer vós o façais em nome de Allah ou de Jeová, porque não há senão um Deus para o Universo.

6. Por que os Espíritos, que parecem desenvolvidos em inteligência, podem ter idéias evidentemente falsas sobre certas coisas?

Eles têm sua doutrina. Os que não são bastante avançados, e que crêem sê-lo, tomam as suas idéias pela verdade. Ocorre como entre vós.

7. Que pensar das doutrinas segundo as quais um só Espírito poderia se comunicar, e que esse Espírito seria Deus ou Jesus?