O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XXVII 823

nação, porque a idéia de que aquele que é senhor possa tornar-se escravo, e reciprocamente, teria parecido monstruosa. Não valeria mais fazer aceitar primeiro o princípio geral, com a condição de tirar dele, mais tarde, as conseqüências? O homens! vossa visão é curta para julgar os desígnios de Deus! Sabei, pois, que nada se faz sem a sua permissão, e sem um objetivo que, freqüentemente, não podeis penetrar. Falei-vos que a unidade se faria na crença espírita; tendes por certo de que ela se fará, e que as dissidências, já menos profundas, se apagarão pouco a pouco, à medida que os homens se esclarecerem e que desaparecerão completamente, porque tal é a vontade de Deus, contra o qual o erro não pode prevalecer. O ESPÍRITO DE VERDADE.

10. As doutrinas errôneas, que podem ser ensinadas por certos Espíritos, não têm por efeito retardar o progresso da verdadeira ciência?

Quereríeis tudo ter sem esforço; sabei, pois, que não há campo onde não cresça má erva, que o lavrador deve extirpar. Essas doutrinas errôneas são uma conseqüência da inferioridade do vosso mundo; se os homens fossem perfeitos, não aceitariam senão a verdade; os erros são como pedras falsas, que só um olho experimentado pode distinguir; necessitais, pois, de uma aprendizagem para distinguir o verdadeiro do falso; pois bem! as falsas doutrinas têm por utilidade vos exercitarem para distinguir a verdade do erro.

Os que adotam o erro não são retardados em seu adiantamento?

Se adotam o erro, é porque não estão bastante avançados para compreenderem a verdade.

302. Esperando que a unidade se faça, cada um crê ter a verdade para si, e sustenta ser verdadeiro só o que ele sabe, ilusão que não deixam de entreter os Espíritos enganadores. Sobre o que o homem imparcial e desinteressado pode se basear para fazer um julgamento?

A luz, a mais pura, não é obscurecida por nenhuma