O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XXIX 842

tudo dos fatos; a ela incumbe a teoria de todos os fenômenos, a procura das causas e, como conseqüência, a constatação do que é possível e do que não o é; em uma palavra, a observação de tudo o que pode fazer avançar a ciência. Ora, seria enganar-se crendo que os fatos estejam limitados aos fenômenos extraordinários; que apenas os que ferem mais os sentidos sejam dignos de atenção; são encontrados a cada passo nas comunicações inteligentes, e que homens reunidos para o estudo não poderiam negligenciar; esses fatos, que seria impossível enumerar, surgem de uma multidão de circunstâncias fortuitas; embora menos salientes, não deixam de ser do mais alto interesse para o observador , que neles encontra, ou a confirmação de um princípio conhecido, ou a revelação de um princípio novo, que o faz penetrar mais adiante nos mistérios do mundo invisível; está também aí a filosofia.

329. As reuniões de estudo, por outro lado, são de uma imensa utilidade para os médiuns de manifestações inteligentes, sobretudo para aqueles que têm um desejo sério de se aperfeiçoar, e que a elas não vêm com uma tola presunção de infalibilidade. Um dos grandes escolhos da mediunidade, como já dissemos, é a obsessão e a fascinação; podem, pois, iludirem-se, de muito boa-fé, sobre o mérito do que obtêm, e se concebe que os Espíritos enganadores tenham sua liberdade de ação quando não se ocupam senão com um cego; é por isso que afastam seu médium de todo controle; que, se for preciso, o fazem tomar aversão por quem poderia esclarecê-lo; com a ajuda do isolamento e da fascinação, podem, facilmente, fazê-lo aceitar tudo o que querem.

Não é demasiado repeti-lo, aí está não só o escolho, mas o perigo; sim, nós o dissemos, um verdadeiro perigo. O único meio de dele escapar, é o controle de pessoas desinteressadas e benevolentes que, julgando as comunicações com sangue frio e imparcialidade, podem lhe abrir os olhos, e fazê-lo perceber o que não pode ver por si mesmo. Ora, todo médium que teme esse julgamento, já está no caminho da obsessão; o que crê que a luz não é feita senão para ele, está completamente subjugado; se toma a mal as