O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XXIX 855

moral, histórico, filosófico ou científico, depende inteiramente do estado do Espírito que se interroga; cabe a nós julgar.

345. Além das evocações propriamente ditas, os ditados espontâneos oferecem assuntos de estudo ao infinito. Consistem em esperar o assunto que apraza aos Espíritos tratarem. Vários médiuns podem, nesse caso, trabalharem simultaneamente. Algumas vezes pode-se chamar um Espírito determinado; o mais ordinariamente se esperam aqueles que queiram se apresentar e, freqüentemente, eles vêm da maneira mais imprevista. Esses ditados podem, em seguida, dar lugar a uma multidão de perguntas cujo tema se encontra, assim, todo preparado. Devem ser comentados com cuidado para se estudar todos os pensamentos que encerram, e julgar se trazem consigo um cunho de verdade. Esse exame, feito com severidade, é, como o dissemos, a melhor garantia contra a intrusão de Espíritos enganadores. Por esse motivo, assim como para a instrução de todos, poderá ser dado conhecimento das comunicações obtidas fora da reunião. Há aí, como se vê, uma fonte inesgotável de elementos eminentemente sérios e instrutivos.

346. As ocupações de cada sessão podem ser reguladas, assim como segue:

1º Leitura das comunicações espíritas obtidas na última sessão, passadas a limpo;

Relatórios diversos. – Correspondência. – Leitura das comunicações obtidas fora das sessões. – Relação de fatos interessando ao Espiritismo;

Trabalhos de estudo. – Ditados espontâneos. – Perguntas diversas e problemas morais propostos aos Espíritos. – Evocações.

Conferência. – Exame crítico e analítico das diversas comunicações. – Discussão sobre os diferentes pontos da ciência espírita.

347. Os grupos nascentes são, algumas vezes, tolhidos em seus trabalhos por falta de médiuns. Os médiuns, seguramente, são um dos elementos essenciais das reuniões es-