O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XXX 861

Toma por denominação: Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas.

Artigo 2 – A Sociedade se compõe de membros titulares, de associados livres e de membros correspondentes.

Pode conferir o título de membro honorário às pessoas residentes na França ou no estrangeiro que, pela sua posição ou seus trabalhos, possam lhe prestar assinaláveis serviços.

Os membros honorários são todos os anos submetidos a uma reeleição.

Artigo 3 – A Sociedade não admite senão pessoas que simpatizam com seus princípios e com objetivo de seus trabalhos; as que já estão iniciadas nos princípios fundamentais da ciência espírita, ou que estejam seriamente animadas do desejo de se instruírem. Em conseqüência, exclui todos aqueles que poderiam suscitar elementos de perturbação no seio das reuniões, seja por um espírito de hostilidade e de oposição sistemática, seja por qualquer outra causa, fazendo, assim, perder o tempo em discussões inúteis.

Todos os membros se devem, reciprocamente, benevolência e bom proceder; devem, em todas as circunstâncias, colocar o bem geral acima das questões pessoais e de amor-próprio.

Artigo 4 – Para ser admitido como associado livre, é preciso dirigir ao Presidente um pedido escrito, apostilado por dois membros titulares, que se tornam garantidores das intenções do postulante.

A carta-pedido deve relatar sumariamente: 1º se o postulante já possui conhecimentos em matéria de Espiritismo; 2º o estado de suas convicções sobre os pontos fundamentais da ciência; 3º o compromisso de se conformar em tudo com o regulamento.

O pedido é submetido à comissão que o examina e propõe, se for o caso, a admissão, o adiamento ou a rejeição.

O adiamento é de rigor para todo candidato que não possua nenhum dos elementos da ciência espírita, e não simpatize com os princípios da Sociedade.

Os associados livres têm direito de assistir a todas as sessões, de participarem nos trabalhos e nas discussões que tenham o estudo por objeto; mas, em nenhum caso, têm voto deliberativo para o que concerne aos assuntos da Sociedade.

Os associados livres não são alistados senão para o ano da sua admissão, e sua manutenção na Sociedade deve ser ratificada ao fim desse primeiro ano.