O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XXXI 871

pouco ou nada definidos até aqui. Explica, mais ainda do que descobre, horizontes novos. A reencarnação e as provas sofridas antes de chegar ao objetivo supremo não são revelações, mas uma confirmação importante. Estou tocado pelas verdades que esse meio coloca às claras. Disse meio com intenção, porque, ao meu pensar, o Espiritismo é uma alavanca que afasta as barreiras da cegueira. A preocupação pelas questões morais está inteiramente para ser criada; discute-se a política que examina os interesses gerais, discute-se os interesses privados, apaixona-se pelo ataque ou a defesa das personalidades; os sistemas têm seus partidários e seus detratores; mas as verdades morais, as que são o pão da alma, o pão da vida, são deixadas na poeira acumulada pelos séculos. Todos os aperfeiçoamentos são úteis aos olhos da multidão, salvo o da alma; sua educação, sua elevação são quimeras aptas pelo menos para ocuparem o ócio dos padres, dos poetas, das mulheres, seja na condição de moda, seja na condição de ensino.

Se o Espiritismo ressuscita o Espiritualismo, dará à sociedade o impulso que dá a uns a dignidade interior, a outros, a resignação, a todos a necessidade de se elevarem até o Ser supremo esquecido e desconhecido pelas suas ingratas criaturas.

J.J.Rousseau.

IV

Se Deus envia os Espíritos para instruírem os homens, é para esclarecê-los sobre seus deveres, mostrar-lhes a rota que pode abreviar suas provas, e com isso apressar seu adiantamento; ora, do mesmo modo que o fruto chega à maturidade, o homem também alcançará a perfeição. Mas, ao lado dos bons Espíritos que querem o vosso bem, há também os Espíritos imperfeitos que querem o vosso mal; ao passo que uns vos impelem para a frente, outros vos puxam para trás; é para distingui-los que deveis concentrar toda a vossa atenção; o meio é fácil: tentai somente compreender que nada do que vem de um bom Espírito pode prejudicar a quem quer que seja, e que tudo