O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XXXI 882

sobretudo, de vos servirdes de uma dessas fórmulas banais, que se recita para desencargo de consciência; sua eficácia está na sinceridade do sentimento que a dita; está, sobretudo, na unanimidade da intenção, porque nenhum daqueles que não se associarem a ela de coração, dela não poderão se beneficiar, nem fazê-la beneficiar aos outros. Redigi-a, pois, vós mesmos, e submetei-a a mim, se quiserdes; eu vos ajudarei.

Nota. – A fórmula seguinte de evocação geral foi redigida com o concurso dos Espíritos, que a completaram em vários pontos.

"Rogamos a Deus Todo-poderoso nos enviar os bons Espíritos para nos assistirem, e afastar aqueles que poderiam nos induzir ao erro; dai-nos a luz necessária para distinguir a verdade da impostura.

"Afastai também os Espíritos malévolos que poderiam lançar a desunião entre nós, suscitando a inveja, o orgulho e o ciúme. Se alguns tentam se introduzirem aqui, em nome de Deus, nós os abjuraremos para que se retirem.

"Bons Espíritos, que presidis aos nossos trabalhos, dignai-vos vir nos instruírem, e tornai-nos dóceis aos vossos conselhos. Fazei com que todo sentimento pessoal se apague em nós, diante do pensamento do bem geral.

"Rogamos, notadamente a . . ., nosso protetor especial, de querer bem nos prestar seu concurso hoje."

XVII

Meus amigos, deixai-me dar-vos um conselho, porque caminhais sobre um terreno novo, e se seguirdes a rota que vos indicamos, não vos desviareis. Disseram-vos uma coisa bem verdadeira que queremos vos lembrar, e é que o Espiritismo não é senão uma moral, e que não deve sair dos limites da filosofia, nada ou pouco, se não quiser cair no domínio da curiosidade. Deixai de lado as questões de ciência: a missão dos Espíritos não é a de resolvê-las, poupando-vos ao trabalho de pesquisa, mas a de procurar tor-