O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XXXI 887

XXIV

Falar-vos-ei da necessidade, nas vossas sessões, de observar a maior regularidade, quer dizer, de evitar toda confusão, toda divergência nas idéias. A divergência favorece a substituição dos maus Espíritos pelos bons, e quase sempre são os primeiros que se apoderam das perguntas propostas. De outra parte, em uma reunião composta de elementos diversos e desconhecidos uns dos outros, como evitar idéias contraditórias, a distração, e mais ainda: uma vaga e zombeteira indiferença? Esse meio, quisera encontrá-lo eficaz e certo. Talvez esteja na concentração dos fluidos espargidos ao redor dos médiuns. Só eles, mas sobretudo os que são queridos, retêm os bons Espíritos na assembléia; mas a sua influência mal basta para dissipar a turba de Espíritos travessos. O trabalho do exame das comunicações é excelente; não se poderiam mais aprofundar as perguntas e sobretudo as respostas; o erro é fácil, mesmo para os Espíritos animados das melhores intenções, a lentidão da escrita, durante a qual o Espírito se afasta do assunto que esgota tão cedo como o concebeu, a mobilidade e a indiferença por certas formas convencionadas, todas essas razões, e muitas outras, vos dão o dever de não dardes senão uma confiança limitada, e sempre subordinada ao exame, mesmo quando se trate das comunicações mais autênticas.

George (Espírito familiar).

XXV

Com qual objetivo, a maior parte do tempo, pedis comunicações aos Espíritos? Para ter belo trecho a mos-trar aos vossos conhecidos como amostras do nosso talento; preciosamente as conservais em vossos álbuns, mas em vosso coração não há lugar para elas. Credes que estejamos bem lisonjeados em virmos posar em vossas assembléias como em um concurso, rivalizar em eloqüência para que possais dizer que a sessão foi bem interessante? Que vos resta quando haveis encontrado uma comu-