O LIVRO DOS MÉDIUNS - SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XXXI 894

é sempre a mesma queixa que se exala da boca do homem, e a conclusão fatal é a da injustiça de Deus. Há mesmo os que até chegam à negação da existência de Deus. Vedes tudo aqui e nada lá; vedes o supérfluo que se choca com a necessidade, o ouro que brilha junto da lama; todos os contrastes, os mais evidentes, que deveriam vos provar a vossa dupla natureza. De onde vem isso? De quem é a culpa? Eis o que é preciso procurar com tranqüilidade e com imparcialidade; quando se deseja sinceramente encontrar um bom remédio, ele será encontrado. Pois bem! malgrado essa dominação do mal sobre o bem, por vossa própria culpa, por que não vedes o resto ir direito pela linha traçada por Deus? Vedes as estações se descontrolarem? Os calores e os frios se chocarem inconsideradamente? A luz do sol esquecer de iluminar a Terra? A Terra esquecer no seu seio as sementes que o homem aí depositou? Vedes a cessação de mil milagres perpétuos que se produzem sob os nossos olhos, desde o rebento de erva até o nascimento da criança, homem futuro? Mas, tudo vai bem do lado de Deus, tudo vai mal do lado do homem. Qual o remédio para isso? É bem simples: aproximar-se de Deus, amar-se, unir-se, se entender e seguir tranqüilamente o caminho, cujos marcos se vêem com os olhos da fé e da consciência.

Vicente de Paulo.

Nota. Esta comunicação foi obtida no mesmo círculo; mas, que diferença com a precedente! Não somente pelo pensamento, mas ainda pelo estilo. Tudo nela é justo, profundo, sensato e, certamente, São Vicente de Paulo não a desaprovaria, por isso se lhe pode, sem medo, atribuí-la.

XXXI

Vamos, filhos, cerrar vossas fileiras! Quer dizer que a vossa boa união faça a vossa força. Vós que trabalhais na fundação do grande edifício, velai e trabalhai sempre para lhe consolidar a base, e então podereis elevá-lo bem alto, bem alto! O progresso é imenso sobre todo o nosso globo; uma quantidade inumerável de prosélitos se alinham sob