O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - INTRODUÇÃO 924

A opinião universal, eis, pois, o juiz supremo, aquele que pronuncia em última instância; ela se forma de todas as opiniões individuais; se uma delas é verdadeira, não tem senão seu peso relativo na balança; se é falsa, não pode se impor sobre todas as outras. Nesse imenso concurso, as individualidades se apagam, e está aí um novo revés para o orgulho humano.

Esse conjunto harmonioso já se desenha; ora, este século não passará sem que resplandeça com todo o seu brilho, de  maneira a fixar todas as incertezas; porque até Iá vozes poderosas terão recebido missão de se fazerem ouvir para reunir os homens sob a mesma bandeira, desde que o campo esteja suficientemente lavrado. À espera disso, aquele que flutuasse entre dois sistemas opostos poderia observar em que sentido se forma a opinião geral: é o indício certo do sentido no qual se pronuncia a maioria dos Espíritos sobre os diversos pontos onde eles se comuniquem; é um sinal não menos certo daquele dos dois sistemas que dominará.

Ill - NOTÍCIAS HlSTÓRlCAS

Para bem compreender certas passagens dos Evangelhos, é necessário conhecer o valor de várias palavras que nele são empregadas com freqüência, e que caracterizam o estado dos costumes e da sociedade judaica dessa época. Essas palavras, não tendo para nós o mesmo sentido, freqüentemente foram mal interpretadas, e por isso mesmo deixaram uma espécie de incerteza. A compreensão do seu significado explica, por outro lado, o sentido verdadeiro de certas máximas que parecem estranhas à primeira vista.

SAMARITANOS. Depois do cisma das dez tribos, Samaria tornou-se a capital do reino dissidente de lsrael. Destruída e reconstruída por várias vezes, ela foi, sob os Romanos, a sede da Samaria, uma das quatro divisões da Palestina. Herodes, dito o Grande, a embelezou, com suntuosos monumentos, e, para agradar Augusto, deu-lhe o nome de Augusta, em grego Sébaste.

Os Samaritanos estiveram, quase sempre, em guerra com os reis de Judá; uma aversão profunda, datando da se-