O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO II 948

CAPÍTULO II

MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO

A vida futura – A realeza de Jesus – O ponto de vista – Instruções dos Espíritos: uma realeza terrestre.

*

1. Pilatos, tornando a entrar, pois, no palácio, e tendo feito vir Jesus, lhe disse: Sois o rei dos Judeus? Jesus lhe respondeu: Meu reino não é deste mundo. Se meu reino fosse deste mundo, minhas gentes teriam combatido para me impedir de cair nas mãos dos Judeus; mas meu reino não é aqui. Pilatos, então, lhe disse: Sois, pois, rei? Jesus lhe replicou: Vós o dissestes; eu sou rei; eu não nasci e nem vim a este mundo senão para testemunhar a verdade; qualquer que pertença à verdade escuta minha voz. (São João, cap. XVIII, v. 33, 36, 37).

A VIDA FUTURA

 

2. Por essas palavras, Jesus designa claramente a vida futura, que ele apresenta, em todas as circunstâncias, como o termo para onde tende a Humanidade, e como sendo o objeto das principais preocupações do homem sobre a Terra; todas as suas máximas se dirigem a esse grande princípio. Sem a vida futura, com efeito, a maior parte dos seus preceitos de moral não teria nenhuma razão de ser; por isso aqueles que não crêem na vida futura, imaginando que ele não fala senão da vida presente, não os compreendem ou os acham pueris.

Esse dogma pode, pois, ser considerado como o ponto central do ensinamento do Cristo; por isso está colocado como um dos primeiros nesta obra, porque deve ser o alvo de todos os homens; só ele pode justificar as anomalias da vida terrestre e concordar com a justiça de Deus.