O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO IV 966

Jesus lhe respondeu: Em verdade, em verdade vos digo: Se um homem não renascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é Espírito. Não vos espanteis do que eu vos disse, que é preciso que nasçais de novo. O Espírito sopra onde quer, e ouvis sua voz, mas não sabeis de onde ele vem e para onde ele vai. Ocorre o mesmo com todo homem que é nascido do Espírito.

Nicodemos lhe respondeu: Como isso pode se dar? Jesus lhe disse: Que! sois mestre em Israel e ignorais essas coisas? Em verdade, em verdade vos digo que não dizemos senão o que sabemos, e que não testemunhamos senão o que vimos; e, entretanto, vós não recebeis nosso testemunho. Mas se não me credes quando vos falo das coisas da Terra, como me crereis quando vos falar das coisas do céu? (São João, cap. III, v. de 1 a 12).

6. O pensamento de que João Batista era Elias e que os profetas poderiam reviver sobre a Terra, se encontra em muitas passagens dos Evangelhos, notadamente nas relatadas acima (nºs. 1, 2 e 3). Se essa crença tivesse sido um erro, Jesus não teria deixado de combatê-la, como combateu tantas outras; longe disso, ele sancionou-a com toda a sua autoridade, e colocou-a como princípio e como uma condição necessária quando disse: Ninguém pode ver o reino dos céus se não nascer de novo; e insiste, ajuntando: Não vos espanteis do que eu vos disse, que É PRECISO que nasçais de novo.

7. Estas palavras: "Se um homem não renasce da água e do Espírito", foram interpretadas no sentido da regeneração pela água do batismo; mas o texto primitivo trazia simplesmente: Não renasce da água e do Espírito, ao passo que, em certas traduções, a do Espírito se substituiu: do Santo-Espírito, o que não responde mais ao mesmo pensamento. Esse ponto capital ressalta dos primeiros comentários feitos sobre o Evangelho, assim como será um dia constatado sem equívoco possível. (1)


(1) A tradução de Osterwald está conforme o texto primitivo; ela traz: não renasce da água e do Espírito; a de Sacy diz: do Santo-Espírito; a de Lamennais: do Espírito-Santo.